GALO FORTE VINGADOR!!!!

atleticomg_festa_afp.jpg_95

“Mas quando o lado heroico do Atlético prevalece, ele sempre sai de campo glorificado” (DRUMMOND, Roberto).

Um dia histórico!

Daqueles que os fãs do futebol amam passar, assistir a decisão de hoje foi incrível, o Galo lutando em campo, o Olímpia segurando tudo. Ronaldinho lançava, Jô trombava, Rosinei disparava.

Teve de tudo, um primeiro tempo sem gols, e o Atlético precisava de dois. Um gol logo no começo do segundo tempo, as bolas na trave eu perdi as contas, mas o Galo acreditava, a torcida gritava “EU ACREDITO!!!”, alguns com os rostos pintados a frase “YE, WE “CAM!!!!!”. E o Clube Atlético Mineiro fez seu torcedor acreditar.

Quando o centroavante Ferreyra driblou o Victor, a sorte de campeão do Galo brilhou e o atacante do Olímpia escorregou. Isso foi a prova que o Atlético tinha que ser campeão nessa noite, aos 41 do segundo tempo gol de Leonardo Silva, de novo um ex-jogador do rival que já é ídolo no Galo, o título poderia vir nos 90 minutos, mas os “deuses” do Futebol fez com que fosse sofrido.

Prorrogação e penaltis, dessa vez Victor já intimidou os batedores pegando a primeira cobrança. Depois todos os batedores do Galo fizeram, Alecsandro, Guilherme, Jô e Leonardo Silva, Ronaldinho nem precisou bater já que o Olímpia perdeu a última penalidade, 4 à 3 e o título fica em Belo Horizonte.

cuca_comemoracao_afp.jpg_95O grito de UAI! foi maior, o Galo deixará de ser chamado de Cavalo Paraguaio, Cuca não será mais azarão, e Ronaldinho à partir de hoje é Mineiro. Merecido o título ao time que foi o melhor da primeira fase. No mata a mata não teve vida fácil, e das quartas de final até o título foram milagres atrás de milagres, penalti defendido aos 47 do segundo tempo, buscou o resultado de 2 à 0 por duas vezes, e hoje pode falar, a América é do Atlético.

E que venha o Bayern, e que o Mundo conheça a torcida do Atlético Mineiro em Marrocos no fim do ano. E essa festa com certeza não vai terminar quando o Galo cantar, vai estender até Dezembro. PARABÉNS GALO!!!

56reverlevantatacaafp

 

Sobre Adriano Barbosa

Brasileiro, casado, pai de 2 filhos, formado em Administração de Empresas, Analista de Pessoal numa empresa do ramo de Cultivo de cana-de-açucar
Galeria | Esse post foi publicado em BRASILEIRÃO, FUTEBOL MINEIRO, FUTEBOL SULAMERICANO, LIBERTADORES, MUNDIAL FIFA, NOTÍCIA, NOTÍCIAS ESPORTIVAS, SÉRIE A e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para GALO FORTE VINGADOR!!!!

  1. Rapaz, quanta emoção, título merecido, time do Atlético/MG hoje só comprovou o que vem demonstrando desde ano passado, vice-campeão Brasileiro, vem emplacando títulos estaduais seguidos que culmina agora com o título “Maior” da libertadores da América, diga-se de passagem, com um timaço, mesmo que em algumas posições ainda não existe uma unanimidade dentro da crítica especializada e nem por parte destes torcedores, o galo joga como música, muito chato de ser batido quando todos os jogadores se entregam e seguem os caminhos traçados por Cuca, diga-se de passagem também, um fã do mestre Telê Santana.

    PARABÉNS ATLÉTICO/MG, CAMPEÃO 2013 DA LIBERTADORES DA AMÉRICA, SRN!!!

  2. WAGNAO / corinthiano do ABC rsrsrsrs disse:

    Post PONTUAL !!!! valeu ADRIANO !!!
    PARABENS ….ATLETICO-MG e sua FANATICA TORCIDA, !!!!!!!!!!!! QUE NUNCA DESANIMOU,CURTAM SEU MOMENTO,QUANTO MAIS DEMORA,MAIS GOSTOSO e´o TITULO,………..CADÊ o MARCELAODAURO ????????KKKKKKKKKKK Pra dar os PARABENS ??
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Em especial aos NOSSOS AMIGOS ……( MAURO AUGUSTO e Paulo Henrique -GALO DOIDO) Parabens amigos !!!!

  3. WAGNAO / corinthiano do ABC rsrsrsrs disse:

    A DEIXA rsrsrs Mui desagradabile !KKKKKKKK
    Dirigentes e torcedores do OLIMPIA,unanimes DECIDIRAM,”pedir a confecçao dos POSTERS de CAMPEAO da LIBERTADORES 2013, de FORMA ANTECIPADA” KKKKKKKKKKKKKKKK e teram de ARCAR com os PREJUIZOS AGORA KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    A DEIXA da DEIXA rsrsrsrsrs
    Aconselho aos PARAGUAIOS “que sempre se antecipam,desde a batalha do Riachuelo”KKKKKK que antes de fazer isto novamente,passem aqui primeiro pra fazer um curso de AUTO -CONFIANÇA,KKKKKKKKK com quem entende do assunto KKKKKKKKKKKKKKKKKK
    ENDEREÇO : Rua:Sao Jorge 777 TATUAPE´/ Sao Paulo-SP KKKKKKKKKKKK
    Vê se pode ????? “Os VERDADEIROS CAVALOS PARAGUAIOS”propriamente ditos” APARECERAM,na FINAL KKKKKK

  4. Laerte disse:

    Parabéns ao Galo e toda sua fanática torcida pelo título. Meu Inter me deu esta alegria em 2006 e 2010, e realmente é um momento inesquecível. E aliás, vejo muitas semelhanças nestas duas conquistas de Inter (2006) e Atlético (2013). Imagino como era a gozação de torcedores em MG porque Grêmio e Cruzeiro tinham duas libertadores já, enquanto Inter e Galo nenhuma. Os dois já estavam a muitos anos sem conquistar títulos que não fossem os estaduais. Em 2005 o Inter monta um belo time e é vice-campeão brasileiro, para no ano seguinte ser pela primeira vez campeão da América (competição que naquela época não disputava a 13 anos, desde 1993) . Em 2012 o Galo faz o mesmo e é vice-campeão brasileiro, no ano seguinte conquista pela primeira vez a América (voltando a Libertadores depois também depois de 13 anos, não disputava desde 2000).
    Por isso tudo sei muito bem a emoção que os atleticanos estão sentindo e dou meus sinceros parabéns ao Clube Atlético Mineiro, que agora se junta a este seleto grupo de campeões da América.

  5. Parabéns Galo, Jundiaí hoje por volta das 0:20h se tornou mineira de tantos foguetórios, e olha que o Frio estava terrível.

    PUBLICIDADE

    ASSISTINDO
    0″ do 1º tempo, Lance

    Assista aos melhores momentos….
    A CRÔNICA
    por Alexandre Lozetti
    2557 comentários
    “Mas quando o lado heroico do Atlético prevalece, ele sempre sai de campo glorificado” (DRUMMOND, Roberto)
    O Atlético-MG é campeão da Libertadores. O Atlético-MG é campeão da Libertadores. O Atlético-MG é campeão da Libertadores… Leia, releia, diga, repita, fale no espelho para ver se acredita. Acredita. Acredita sempre!
    O Atlético-MG da fé, dos dribles, da raça, da torcida, dos versos de Drummond, da voz de Beth Carvalho. O Atlético-MG dos pênaltis, de uma idolatria sem tamanho, sem fronteiras, que foi à Bolívia, à Argentina, a São Paulo, ao México, ao Paraguai, e terminou no Mineirão com um final feliz, esperado, desejado.
    saiba mais
    Confira os principais lances da partida
    A tabela: veja a trajetória do campeão
    Atuações: Jô, Victor e Léo Silva brilham
    Cuca, aliviado: ‘Não tem mais azar’
    Final quebra recorde de bilheteria
    Ronaldinho: ‘Diziam que estava acabado’
    Os campeões do gelo fervem! Derretem os corações de sua Massa apaixonada. Com tudo, absolutamente tudo a que têm direito. Nenhuma palavra vai explicar a vitória por 2 a 0 sobre o Olimpia no tempo normal, o 0 a 0 da prorrogação, os 4 a 3 nos pênaltis.
    As lembranças de cada pessoa que foi ao estádio ou viu pela televisão contarão à sua maneira como a bola passava a um fiapo de cabelo dos pés de Bernard, mas não entrava. Como os chutes de Diego Tardelli e Ronaldinho teimavam em encontrar obstáculos.
    A eternidade vai tratar de dar uma satisfação a Ferreyra, que poderia ter exterminado o sonho atleticano, mas escorregou. Teria sido o olhar de São Victor, que já ficara para trás? Teria sido a camiseta de Cuca? E o que provocou a expulsão de Manzur logo em seguida? E segundos depois, o gol de Leonardo Silva, de onde veio? De onde ele surgiu?
    Alguém, um dia, conseguirá dizer como os jogadores tiveram tanta calma e categoria para se encaminharem diretamente para a história.
    O jogo que começou no dia 24 e terminou em 25 de julho de 2013. Belo Horizonte, hoje, é branca e preta. Luta, luta, luta com toda raça para vencer. E faz as malas rumo ao Marrocos, onde alguns duelos memoráveis podem acontecer: Cuca contra Guardiola, Ronaldinho versus Schweinsteiger… Que venha o Bayern! E que o mundo descubra, em dezembro, o imponderável, a paixão e a fé que moveram o Galo ao melhor e maior dia de sua história.
    Atlético-MG festa título Libertadores (Foto: AFP)
    O grande momento: atleticanos comemoram o título da Libertadores no Mineirão (Foto: AFP)
    Vai, Jô! Pega, Jô! Assim não, Galo…
    Futebolista dos melhores que foi Djalma Santos, deve ter abençoado o minuto de barulho em sua homenagem: 60 segundos de hino do Atlético-MG cantado a plenos pulmões. O tempo… Esse ingrediente cruel das decisões.
    O Galo tinha 90 minutos para fazer dois gols, mas parecia ter 90 segundos, tamanha pressa no início. Pressa inimiga da perfeição, todos aprenderam. A bola pouco parou no chão. Ronaldinho, que tão bem sabe o que fazer com ela, abusou dos lançamentos.
    O Olimpia teve o peso da camisa tricampeã da Libertadores, mas não só isso. Os paraguaios não parecem ter sido tratados com a devida consideração. Os destaques do Galo foram mal no primeiro tempo, como já havia ocorrido no Paraguai. Não haveria mérito do técnico Hugo Almeida e sua linha neutralizadora de cinco defensores?
    Bola para o Jô, que é final de campeonato. Sempre nele, que só conseguiu receber e fazer o pivô uma vez, mas o chute de Tardelli saiu alto. “Eu acredito! Eu acredito!” O mantra ecoava, e a Massa não acreditava que a bola cruzada por Tardelli passou a milímetros do pé de Bernard. Ah, se ele fosse um tiquinho mais alto…
    A unha de Cuca sofria tal qual a garganta e o coração do torcedor, que viu Bareiro e Silva entrarem livres na área, mas finalizarem mal, sem força, nas mãos de São Victor dos Milagres.
    Bernard trocou empurrões com Benítez. Victor socou o ar quando o árbitro interrompeu sua saída rápida. Ronaldinho não se conformou com mais um passe errado. E o primeiro tempo, que acabou com Josué como destaque, jogando e orientando, se foi. Hora de Cuca rezar, roer a unha e botar os nervos no lugar.
    Leonardo Silva gol Atlético-MG final Olimpia Libertadores (Foto: Reuters)
    O momento da esperança: Leonardo Silva cabeceia e supera Martín Silva, fazendo 2 a 0 (Foto: Reuters)
    Esperança, angústia, medo e alegria
    Assim que Wilmar Roldán encerrou a primeira etapa, Cuca foi apressado ao vestiário. Pensava no que fazer. Talvez pedindo uma luz à Virgem da camiseta e do coração. A luz veio em forma de Rosinei. E que luz rápida… Um minuto! O cruzamento dele não foi perfeito, mas Pittoni furou. A bola encontrou Jô, aquele a que todos procuravam. Gol! A Massa tirou o grito do peito.
    Jô virou artilheiro isolado da Libertadores com sete gols, mas queria mais. Recebeu outra vez de Rosinei e tentou duas vezes. Uma nas mãos de Silva, outra para fora.
    Faltava um. Só um… Tão pouco para o ataque que já fez quatro aqui, cinco ali. Mas uma enormidade para chegar ao título. Que ruído era aquele no Mineirão? Era esperança, aflição. Era inexplicável. O Olimpia se tornou absolutamente coadjuvante. Pareciam fantoches à espera do que aconteceria. Eles também têm fé. Como devem ter orado…
    Como explicar o chute de Diego Tardelli, sem goleiro, por cima do gol? Estava impedido, o que alivia o erro incrível. Ele saiu logo depois, e entrou Guilherme. Substituição também de fé, de confiança em sua técnica, de superstição na expectativa que ele repetisse a semifinal e fizesse o segundo gol salvador.
    Como explicar o escorregão de Ferreyra, sem goleiro, sem ninguém à sua frente? Ele não estava impedido. Um lance incrível, surreal, que arrancou mais um coro de “Eu acredito!”. Coro reforçado com a expulsão de Manzur. E era pra acreditar mesmo.
    Como explicar que Leonardo Silva tenha precisado de três cabeçadas? Na primeira, não foi possível espichar o travessão para que ela entrasse. Na segunda, não foi possível tirar Martín Silva do caminho. Na terceira não houve trave ou goleiro que impedisse a catarse mineira, o delírio do “uai”, a explosão absoluta de alegria. Alegria, alegria, alegria…
    O Galo tinha um jogador a mais, 56 mil torcedores a mais e 30 minutos mais para entrar na história.
    Bernard lesão Atlético-MG final Olimpia Libertadores (Foto: EFE)
    O momento da dor: Cuca socorre Bernard, que ficou em campo mesmo sem condições (Foto: EFE)
    O ato final
    9-0-0. Ok, não era bem esse o esquema do Olimpia na prorrogação, mas era quase esse. Contra a paciência do Galo, que virava para cá, para lá, achava espaços. A bola aérea era um trunfo. Réver acertou o travessão. “O Galo é o time da virada, o Galo é o time do amor!”. Josué, que jogador. Grande, vitorioso. Que chutaço. E que defesa do ótimo Martín Silva, uruguaio ícone da resistência paraguaia.
    Na teoria, 9-0-0. Na prática, o esquema era “não tem mais jogo”. Valia puxar o braço de Victor, ir direto ao corpo de Bernard… Valia tudo. O Olimpia queria pênaltis. De novo?
    Cuca já estava sem agasalho. Sem ar. Sem unhas. O Galo não pressionou como se esperava. Bravos paraguaios, valorosos. Bernard desabou, sem a menor condição de jogar. Mas voltou. Falta para o Olimpia. Igualzinha àquela em Assunção. No mesmo lugar, no mesmo pé direito de Pittoni. Alecsandro dessa vez não correu para o gol. A bola saiu. Pênaltis. De novo!
    Todas as orações a Victor. Todas. Até Miranda parecia devoto. O zagueiro abriu as cobranças tão mal… Como se o goleiro precisasse de ajuda. Pegou no meio do gol. Alecsandro pensou, olhou, bateu com perfeição e reverenciou o público. Ferreyra também bateu mal, mas fez. Era a vez de Guilherme, o talismã. Categoria pura. Galo na frente!
    Candía bateu no meio. Fez o simples, fez o gol. Jô não perdoou. Gols em decisões por pênaltis não contam na artilharia do torneio. Nem precisou. Na cobrança de Aranda, São Victor mal viu a bola. Indefensável. Assim como o chute de Léo Silva, zagueiro que tem calma de centroavante para botar a bola na rede.
    Se Giménez errar… Se São Victor pegar, o Galo é campeão. Se a bola não entrar, o Galo é campeão. Era esse o cenário no Mineirão quando Giménez tomou distância. A torcida sabia que acabaria ali. A bola acertou o travessão, acertou o coração de milhares, milhões de atleticanos. Milhões de campeões. Valeu a pena acreditar!

  6. Jose Eraldo disse:

    Algumas verdade a serem ditas desta Libertadores:
    1° Seria um dos maiores absurdos do futebol um time ruim como esse do Olimpia ser campeão.
    2° Foi uma das poucas vezes que eu já vi um torneio de mata-mata premiar realmente a melhor equipe, o time que jogou mais bonito.
    3° O Alecsandro é ruim de bola…mas como meteu aquele penalty na gaveta!!
    4° Se o Atlético MG tivesse doi volantes que soubessem jogar esse time seria imbatível! Dói ver Pierre e Josué com a bola nos pés.
    5° Os dois árbitros apitaram muito bem as finais… impressionante!!!
    6° O Atlético e sua apaixonada torcida merece toda festa possível…afinal entrão num grupo seleto no Brasil…o dos campeões da América!

    A melhor libertadores de todos os tempos sem nehuma duvida!!
    Inesquecível!

    • Neto Fortes - BHte/MG disse:

      Isto é uma camisa ou uma poesia que se veste?

      Você pode contar pra quem não viu, pra quem até nem estava sabendo, mas depois de dizer o que aconteceu esta pessoa saberá de imediato. Foi conquista do Galo!
      Com tanto sofrimento, com tantos percalços pelo caminho, com tanta dramaticidade, só pode ser o Galo.
      E não dá pra fugir. A adorada camisa foi premeditadamente escolhida.
      Listras brancas, listras negras.
      Por si só já trazem a dicotomia que rege a história e a sina do clube mais querido das Minas Gerais. Trafega-se pela calma da paixão contida para a passionalidade quase irracional, assim, num pulo. Das juras de esquecimento e afirmações de “nunca mais vou a um jogo”, para a incontrolável e irresistível vontade de estar presente em qualquer lugar do mundo. Há que se reconhecer inclusive que a segunda parte é mais praticada. Muito mais. Em qualquer evento esportivo nos mais longínquos rincões, você encontrará a bandeira alvinegra tremulando. Já vi camisa do Galo na Groelândia!
      E carregar a sina de cavalo paraguaio, na hora “H” o Galo vira galinha, a “mineirada só sabe chorar”, diante das reclamações contra os absurdos que já foram cometidos contra o Atlético, é no fundo uma defesa de quem, tendo a mídia maciça de Rio e São Paulo os endeusando e esquecendo que ser equânime é obrigação de quem trabalha com a, paixão, fé e opinião “públicas”, como atitude. Este é outro peso que massacra a nação alvinegra mineira e é injusto.
      O único presidente que é também ídolo de sua torcida resolveu investir no futebol e criou o time mais certinho do país este ano. Veja bem a ironia, exatamente no ano de uma Copa das Confederações se realizando no Brasil, interrompendo o ótimo momento do time atleticano e mais, levando três dos seus atletas. Houve reclamação do Galo? Solicitou a dispensa de seus craques para manter o entrosamento da equipe? Não. Mas tinha que acontecer exatamente neste momento de acerto do Atlético. E quebrar a sua boa sequência. É a sina. Os caminhos alvinegros mineiros são sempre mais difíceis. O investimento do Atlético foi maior que todos os seus adversários das oitavas de final para frente. Experimentou o time mineiro uma realidade de time paulista, forçando um desequilíbrio entre as forças. Eu, particularmente, critico estes desequilíbrios que realidades econômicas díspares provocam. Se elas forem conquistadas com exploração do povo ingênuo, com aliciamento de políticos e pessoas que detenham decisões sobre o dinheiro público então, me exaspero. Acho que o sucesso do Atlético não passa por tais caminhos e sim na abnegação de alguns apaixonados, que enterram, pois não serão jamais recuperados, recursos de suas empresas e negócios. Os clubes lá de fora não têm a capacidade de enfrentamento com os brasileiros neste momento de inquestionável vigor econômico brasileiro. Esta é uma realidade para todos, porém não são todos que são bem sucedidos.
      Porque ressalto tais fatos na conquista do Atlético? Porque amo o futebol e me envergonho em ver este manancial de recursos ser pessimamente administrado, entra ano sai ano, no nosso cenário futebolístico. O Atlético presta na conquista das Libertadores, sonho máximo das Américas, mais um serviço ao futebol brasileiro. Trabalhando sério e com competência, dá pra qualquer um chegar lá. Se o Galo chegou lá com a sua sina, com a má vontade de dirigentes da CBF, com todas as dificuldades sobejamente conhecidas, qualquer time dos grandes centros, pode chegar. Só vai ficar faltando uma coisa. A paixão da torcida.
      Listras brancas, listras negras.
      Roberto Drummond como todo mineiro, sabe o quanto é sábio estar com boca fechada e escutar muito. Mas a paixão não foi possível de ser contida pra quem convivia diariamente com o torcedor alvinegro.
      Notório pelos seus romances e crônicas, aqui em Minas ele é mais conhecido pela sua paixão pelo Galo e um dia a expressou assim:
      “Se houver uma camisa do Atlético estendida no varal em meio a uma ventania, o atleticano torcerá contra o vento”.
      É gente que em uníssono afirma, YES, WE CAM, EU ACREDITO.
      São estes momentos que nos mostram que somente organização, dinheiro, equilíbrio nas contratações, etc, não são suficientes para conquistar títulos.
      É necessário uma torcida que torça contra o vento.
      É necessário que haja uma torcida que saiba que o AMOR pelo seu time não é paixão clubística, é religião.
      Não sei de quem é a frase, mas com certeza é de quem ama o Galo.
      É gente que mais que saber, sente que esta não é uma camisa.
      É uma poesia que se veste!!!
      Parabéns Clube Atlético Mineiro!

  7. Cristian disse:

    Eu acho que além do galo ,o Grêmio ta merecendo um título ultimamente, pegou 2 vice-brasileiro um vice libertadores.
    Nem CdB ta dando mais, perdemos pra aquele time fraquinho do palmeiras, sendo que quem salvou foi o técnico, que hoje está na seleção brasileira.

    Torci muito pro atlético, só achei que deveria tirar alecssandro errou um gol tentou fazer bonito ao inves de meter a colocada pra dentro, não ponham esse cara para o mundial.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s